Mais belo tempero

by 09:20 0 comentários
Pensando em criar a mais formosa rima,
Pus-me aqui,cá em cima,
A ouvir da mais bela nuvem o murmurinho.
Procurei o mais belo tempero,
Alecrim, orégano e cominho,
No entanto,nada me foi possível encontrar
Decidi,então, por outros lugares procurar
Subi o mais alto dos montes,
Vi pássaros a alegrar a manhã, elegantes
E a brisa acariciar-me com suas mãos gigantes
Novamente,nada encontrei,que seria de minha poesia?
Fui para todos os lados,nômade, como uma feitoria
Que com sua insensatez não para, seja noite, seja dia
Busquei na mais profunda caverna,nas conchas do mar,
Oh,Deus,por que não posso rimar?
Passado certo tempo, desisti
E sentindo o desânimo correndo nas veias,
Pus-me a deitar no chão.
Nesse momento, achei minha canção,
O meu rimar,o meu cantar,
Todos estes,minha criação
E atentei à emoção em mim possuída:
Concluí que a maior de todas as rimas é a vida.






Natália Monte

Developer

A paixão pela escrita sempre foi característica de Natália Monte: alagoana de gênio forte, começou a escrever quando criança, e o envolvimento com as letras só aumentou com o passar dos anos. Escreve o que pensa, o que vê e o que sente. Descreve através desta página a maneira singular com a qual vê o mundo, sua proposta é justamente expor tal universo particular, ou melhor, seu "reino". E como em todo conto infantil os reis são a autoridade máxima, a autora brinca: " Um dia, fui rei!". Rei de suas ideias, aspirações, e do colorido único que só sua imaginação tem.

0 comentários:

Postar um comentário