Cosmos

by 21:57 0 comentários
Você pensa que não vejo,
Mas posso enxergar,
Olho por entre as entrelinhas
E meu cérebro, de calos cheios,
Pensa apenas no receio
De se o dia acabar
Não veremos mais o azul celestial,
Meus pulsos cansados,
Ou indícios do fatal
Subi aquela montanha,
Sim,aquela, na qual você disse
Que quando em triste
Iria refugiar
Seus medos e suspiros,
Como um pião num giro
Tonto,bambo e sem perspectiva
De fazer da vida um bailar
E do baile um rodopiar
Contei as estrelas do céu
Medi-as com meus padrões possíveis
E vi que somos medíocres incríveis
Que pensam em mergulhar
No mar de ilusões que é o plano estelar.

Natália Monte

Developer

A paixão pela escrita sempre foi característica de Natália Monte: alagoana de gênio forte, começou a escrever quando criança, e o envolvimento com as letras só aumentou com o passar dos anos. Escreve o que pensa, o que vê e o que sente. Descreve através desta página a maneira singular com a qual vê o mundo, sua proposta é justamente expor tal universo particular, ou melhor, seu "reino". E como em todo conto infantil os reis são a autoridade máxima, a autora brinca: " Um dia, fui rei!". Rei de suas ideias, aspirações, e do colorido único que só sua imaginação tem.

0 comentários:

Postar um comentário