Praia dos ventos

by 23:03 1 comentários
Sambei, os pés não senti
E daí? 
As contas deixei para ti,
Fugi!

Fui à praia dos ventos
Que não se apagam,
Fluem lentos,
Enganam o tempo

Lá é minha Pasárgada, 
Todo samba é bossa,
A ventania me agrada,
Toda poesia é prosa

Problemas? Longe de mim! 
Tenho a praia que é só minha,
E susurra brisas sem fim,
Das terras todas, é a rainha

Na praia dos ventos, crio asa
E vou, para longe
Até que o corpo canse,
Até bem longe de casa 








Natália Monte

Developer

A paixão pela escrita sempre foi característica de Natália Monte: alagoana de gênio forte, começou a escrever quando criança, e o envolvimento com as letras só aumentou com o passar dos anos. Escreve o que pensa, o que vê e o que sente. Descreve através desta página a maneira singular com a qual vê o mundo, sua proposta é justamente expor tal universo particular, ou melhor, seu "reino". E como em todo conto infantil os reis são a autoridade máxima, a autora brinca: " Um dia, fui rei!". Rei de suas ideias, aspirações, e do colorido único que só sua imaginação tem.

Um comentário:

  1. Adorei!

    A nova Pasárgada...
    A pasárgada feminina.
    Lá sou amigo dos ventos...
    Lá sou amigo dos sons...
    Que Deus abençoe o dons
    que tem essa menina!

    Grande abraço!

    Emanuel Galvão

    ResponderExcluir