Lacuna

by 22:34 0 comentários
Os pássaros foram embora,
Voaram mil léguas
Meus olhos desaguam, agora
Pela saudade que me resta

Os pássaros partiram, velozes
E me deixaram só,
Com a vida feito nó,
Ouço o eco de suas vozes 

Os pássaros brincaram comigo,
Riram da minha condição
Pensei que me eram amigos
E eram, apenas , ilusão.

Os pássaros partiram,
E partiram meu coração.
Os pássaros mentiram,
Cantaram para mim, em vão.

Os pássaros fugiram,
Mas hão de voltar
Longe foram, não viram
A lacuna se formar

Mas, ah, pássaros! 
É mesmo bom que voltem?
Se mentem tanto,
Sejam hereges, bárbaros...

















Longe de mim.



Natália Monte

Developer

A paixão pela escrita sempre foi característica de Natália Monte: alagoana de gênio forte, começou a escrever quando criança, e o envolvimento com as letras só aumentou com o passar dos anos. Escreve o que pensa, o que vê e o que sente. Descreve através desta página a maneira singular com a qual vê o mundo, sua proposta é justamente expor tal universo particular, ou melhor, seu "reino". E como em todo conto infantil os reis são a autoridade máxima, a autora brinca: " Um dia, fui rei!". Rei de suas ideias, aspirações, e do colorido único que só sua imaginação tem.

0 comentários:

Postar um comentário